É hora de rever o apoio dos cristãos e cristãs à política do ódio

0
204
Bolsonaro em evento com evangélicos (Foto: Alan Santos/PR)

É hora de rever o apoio dos cristãos e cristãs à política do ódio

O ovo da serpente chocado pela direita católica e evangélica eclodiu na fala do deputado da direita política Frederico D´Ávila, do recém-criado partido União Brasil, antigo DEM-PSL, e seus congêneres católicos e evangélicos.

Por TONINHO KALUNGA

Publicado em Brasil 247 em  20 de outubro de 2021

A resposta da Comunidade Católica ao deputado bolsonarista Frederico Braun D´Ávila –   apoiador da monarquia e judeu por definição religiosa, este fato deveria ser mais que suficiente para ter aprendido com o sofrimento impingido à sua religião pelos nazistas o significado de respeito à religião alheia – tem sido forte.

A DIREITA POLÍTICA é truculenta e sempre foi violenta como é muito próprio do jeito de ser de direita! Suas referências são hipócritas, preconceituosas, mentirosas e repugnantes. Tudo que a Direita consegue produzir com esmero é ligado a senso comuns que tem como alicerce os achismos e as propaladas fake news, inventadas sob encomenda para mentir,confundir, manipular e dividir.

A direita se caracteriza por sua ojeriza aos pobres. Qualquer programa ou projeto que pense em apoiar as populações menos favorecidas vai encontrar resistência e contrariedade por parte da Direita Política. Haverá apenas uma exceção, que são períodos pré-eleitorais, quando se desesperam para criar programas com data de validade para o período pós eleitoral, como este que o governo Bolsonaro está propondo neste momento. Quando favorecem os mais pobres, eles são contrários. Basta ver a questão da reforma previdenciária, a reforma trabalhista, a proposta de taxação dos mais ricos. Eles sempre estão contra os pobres. É próprio na natureza da direita política.Parte inferior do formulário

No decorrer da história sempre foi assim. Para não cansar muito, basta ver o que pessoas que se intitulam de direita, pensam de programas como Bolsa Família. Sempre haverá espaço para avaliações como sendo “coisa de vagabundo”. Quem de nós, já não ouviu um gordo e preguiçoso burguês (e os magros também), falar que tem trabalho para todo mundo que queira trabalhar, que o problema é que as pessoas querem escolher trabalho! 

Esse tipo de gente chega na política pela porta dos fundos. Sempre! É o caso do desvairado deputado Frederico Frederico Braun D´Ávila. Foi eleito com míseros 24 mil votos, na rabeira dos votos da tresloucada deputada da extrema direita Janaina Paschoal e pior ainda, o voto dessa turma em grande parte foi colhido na omissão e ação de padres, bispos e católicos que fazem parte da chamada direita católica. Basta ver o tamanho do apoio que a chamada direita teve nas últimas eleições, capitaneadas por lideranças do mundo católico.

A marca dessa gente é a ofensa. Tudo aquilo que não se enquadrem em suas estreitas margens de visão de mundo, é tida como inimiga. A intolerância é o que os caracteriza. E isso, desgraçadamente, chegou ao mundo religioso cristão. A caridade, que é a marca registrada de todo cristão e cristã, que baliza e alicerça a prática desta religiosidade foi invadida, vilipendiada por ataques internos de pessoas que se arvoram de pregadores do Evangelho, mas que tem uma prática anti cristã. 

Outra característica comum a estes falsos cristãos é o fato de se dizerem contrários à introdução da política na religiosidade, mas estão inseridos até a alma no APOIO ao que tem de mais nefasto, odiento e perseguidor da DIREITA POLÍTICA. Basta ver o discurso dessa gente, e a lógica para onde levam o seu deus. Usurpam do nome de Deus, assim como usurpam a bandeira nacional. Se comportam como covardes, que agem nas sombras. Raramente, demonstram em público o que de fato pensam. Mas todos, sem exceção, pensam como o deputado bolsonarista, Frederico D´Ávila.

São essas pessoas que ofendem a campanha da Fraternidade, que xingam Papa Francisco, que destroem reputações de pessoas e não ligam nem mesmo para mentir descaradamente ao se referir a uma pessoa como o Arcebispo de Aparecida, DOM ORLANDO BRANDES, COM A CNBB, COM PAPA FRANCISCO e por consequência TODOS OS CRISTÃOS DE FATO como um todo, e aos católicos em particular.

Elas não são estranhas a nós. Estão conosco aos domingos na partilha do pão, estão conosco nas reuniões das comunidades e nas festas de arrecadação para sustentar as atividades de caridade da Igreja. Falam pelos cantos, estão sempre de mal humor e espalhando suas sementes de joio pela comunidade. Para todos os que lhes contrariam sua perspectiva de ódio, tem um nome comum para lhes ofender: COMUNISTAS! Dizem não

gostar de político, mas defendem seu MITO mais que sua própria alma.  

Ofendem a qualquer um nas espreitas, mas são covardes em público. Alguns, até se encorajam em expor dizeres em suas redes sociais, como “nossa bandeira jamais será vermelha”. Os estúpidos e estúpidas não enxergam nem mesmo a própria conta de luz para entender que a bandeira já é vermelha, em grande medida graças à sua opção política.

A incoerência é outra marca desses tipos. São os que se dizem contrários ao comunismo,e apoiadores de uma tal liberdade. Quando falamos que também queremos a liberdade, eles passam a ser favoráveis à ditadura e ao golpe de estado! Quando questionamos que ofender a honra e a moral das pessoas é errado, eles dizem que isso é liberdade de opinião. 

São ávidos ao dizer que apoiam o que chamam de família tradicional. Gostam tanto da família, que não raramente possuem duas ou mais. Menos raro são os que se dizem do time do orgulho hétero, mas que vivem dentro de um armário que se liberam com gogo boys em quartos de hoteis de luxo de qualquer capital. Ficam indignados quando assistem TV e vem acidentes provocados por motoristas alcoolizados, mas enchem a cara de bebidas e saem dirigindo todo final de semana. 

Se é verdade que devemos afastar o fascismo da vida política nacional, precisamos também, dizer aos cristãos que apóiam a direita truculenta que eles se igualam aos que ofendem o Papa e a todos nós católicos que acreditamos que uma PÁTRIA AMADA NÃO PODE SER UMA PÁTRIA ARMADA.

Toninho Kalunga

Ex-vereador do PT em Cotia. Foi coordenador Estadual de Formação Política do Diretório Estadual do PT/SP. Cristão católico ligado aos Orionitas no Santuário São Luís Orione

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui