Com Lula, o Brasil tem nova oportunidade

0
74
Lula (Foto: REUTERS/Leonardo Benassatto)

Com Lula, o Brasil tem nova oportunidade

‘O Brasil tem uma nova oportunidade com o Lula de se reconstruir como país, como sociedade, como Estado, de reconhecer os direitos de todos, reconhecidos como cidadãos. O Brasil tem uma nova oportunidade histórica com o Lula e não pode perdê-la”, escreve Emir Sader

25 de maio de 2021

A direita levou o Brasil à pior crise da nossa história. Depois de perder quatro eleições seguidas, porque governos de esquerda realizaram os melhores governos da nossa historia, a direita promoveu a ruptura da democracia e restabeleceu governos de direita.

Desde aquele momento – 2016 – o Brasil retrocedeu em todos os seus aspectos: PIB, emprego, precariedade no trabalho, fome, miséria, abandono, saúde, educação, habitação e desigualdade. De todos os pontos de vista o pais retrocedeu, ficou mais pobre, mais desigual, o povo ficou mais abandonado, o pais ficou ridicularizado no mundo por um governo incompetente.


 O país vive a pior crise humanitária do mundo, a pior situação social da nossa história, tem a pior imagem no mundo que jamais teve. Isso é o que a direita tem a apresentar ao Brasil. O grande empresariado, os partidos de direita, a mídia, o Judiciario, tem responsáveis diretas nisso, que não se espelham apenas em miséria e fome, mas também em milhares de mortes evitáveis.

Apesar disso tudo, o Brasil encontra forças para superar a mais grave crise da nossa história. Todas as pesquisas apontam que a grande maioria dos brasileiros não aguenta mais este governo e quer que o Lula volte a ser presidente do Brasil. Os méritos dos governos do PT permaneceram na memória dos brasileiros, que manifestam claramente que preferem o retorno desses governos ao que a direita propôs com o governo Bolsonaro.

 O Brasil viveu um período muito grave da sua história com a ditadura militar de mais de 20 anos. Conseguiu reunir a força democrática suficiente para derrotar a ditadura e restabelecer a democracia. Essa força, no entanto, não foi suficiente nem para impor a eleição direta do primeiro presidente civil do Brasil depois da ditadura, nem para democratizar o país mais além do seu sistema político.

 Não foram democratizadas nem a economia, nem as relações sociais, nem a educação, nem a saúde, nem a propriedade da terra, nem os meios de comunicação. E como se a estrutura do país não tivesse sido democratizada em nada, tanto assim que as desigualdades – a característica mais profunda do pais – permaneceram e se aprofundaram.

 O Brasil viveu um outro momento grave, quando os governos neoliberais dos anos 1990 provocaram uma profunda recessão econômica e aumento das desigualdades. Os brasileiros elegeram o Lula e, sucessivamente, governos do PT em quatro eleições. O Brasil saiu da recessão herdada dos governos neoliberais, promoveu o maior processo de distribuição de renda da nossa história, elevou como nunca os salários acima da inflação, fez o Brasil viver, pela primeira vez, o pleno emprego, projetou a imagem mais prestigiada do país no mundo.

 O golpe de 2016 jogou o Brasil, pelas mãos da direita, na pior crise da nossa história. Mas o país demonstra que tem, através da preferência de ter o Lula de novo como presidente, uma nova oportunidade. Uma oportunidade de resgatar a democracia, como condição indispensável de que a vontade a maioria se imponha. 

 Com o Lula presidente, o Brasil terá nova oportunidade de combater as desigualdades de todo tipo, de combater a fome e a miséria, o desemprego, o abandono da população, o desprestígio externo do país. De superar a crise atual, pelo retorno de um presidente legítimo, eleito democraticamente pelo povo, respeitado no mundo todo. De voltar a conviver em harmonia com todas as posições, desenvolvendo seus argumentos em debate franco, aberto, democrático.

 O Brasil poderá voltar a ser um país em que os brasileiros tenham orgulho, em que outros países se espelham para aprender do combate à fome, à miséria e às desigualdades. Que o Brasil volte a ter relações amistosas e de colaboração com todos os países e povos do mundo, que não seja mais considerado um país pária com um governo condenado no mundo todo.

 Com o Lula, o Brasil tem uma nova oportunidade histórica de voltar a se tornar um país em que o povo se identifica com seu governo, em que o presidente fala a linguagem do povo, coloca em prática políticas que atendem as necessidades do povo. De fazer com o que a catástrofe em que a direita jogou o país depois de derrubar por um golpe o PT do governo, seja um parêntesis, que nunca mais se possa romper com a democracia e instalar governos autoritários à revelia dos brasileiros.
 

O Brasil tem uma nova oportunidade com o Lula de se reconstruir como país, como sociedade, como Estado, de reconhecer os direitos de todos, reconhecidos como cidadãos. O Brasil tem uma nova oportunidade histórica com o Lula e não pode perde-la.

Emir Sader

Colunista do 247, Emir Sader é um dos principais sociólogos e cientistas políticos brasileiros

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui